Desde 2006 sabemos que custo de não agir é muito maior do que investimento na transformação da economia

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese.

“Dois mil anos de história humana dizem que os períodos quentes foram bons para as pessoas. Foram os períodos instáveis e severos da Idade das Trevas e da Pequena Era do Gelo que trouxeram maiores tempestades, geadas fora de época, fome generalizada e pestes.” (Dennis Avery)

A melhor maneira de colocar isso em perspectiva é comparar eventuais aspectos positivos do aquecimento com os negativos – observando que essa não é uma lista abrangente:

Agricultura

Ao mesmo tempo em que o CO2 é essencial à vida das plantas, toda agricultura também depende de um suprimento constante de água, e as mudanças climáticas provavelmente interromperão isso com enchentes e secas. Já se sugeriu que latitudes mais altas (Sibéria, por exemplo) podem se tornar produtivas com o aquecimento global. Porém, o solo do Ártico e das terras adjacentes é muito pobre, e a quantidade de luz do sol que atinge o solo no verão não vai mudar, pois isso é determinado pelo ângulo do eixo de rotação da Terra. A agricultura também pode ser afetada por incêndios e mudanças na periodicidade das estações – o que já está acontecendo -, e mudanças nas estepes e suprimento de água podem ter impactos nas pastagens e produtividade de gados de criação. Mais aquecimento pode também afetar países cujo clima já esteja próximo do limite de temperatura suportado por suas plantações – nos trópicos ou na África subsaariana, por exemplo.

Saúde

Invernos mais amenos causariam menos mortes, principalmente em grupos mais vulneráveis, como os idosos. Entretanto, estes mesmos grupos são também vulneráveis ao calor adicional, e é previsto que as mortes atribuíveis às ondas de calor sejam pelo menos cinco vezes mais numerosas do que as mortes de inverno que foram evitadas. É largamente aceito que climas mais quentes permitiriam a migração de insetos vetores de doenças, como os mosquitos. A malária já está ocorrendo em lugares em que nunca havia ocorrido antes.

Derretimento de Calotas Polares e Mantos de Gelo

A abertura de uma passagem navegável ao norte do Canadá pode trazer alguns benefícios comerciais, mas eles são superados de longe pelas consequências negativas. Estas incluem a perda de habitat dos ursos polares, e maior probabilidade de acidentes com gelo oceânico para a navegação. A perda do albedo do gelo (refletividade da luz do sol), fazendo os oceanos absorverem mais calor, é outro feedback positivo; as águas mais quentes aceleram o derretimento do gelo oceânico e do manto de gelo da Groenlândia. A temperatura da tundra ártica também se eleva e derrete o permafrost, que por sua vez emite metano, um gás estufa muito potente (o metano também é emitido no fundo do mar, onde ele está aprisionado em pequenos cristais de gelo chamados de clatratos). Também se prevê o derretimento dos mantos de gelo da Antártica, o que aceleraria o aumento do nível do mar, sem trazer com isso nenhum benefício.

Acidificação dos Oceanos

A diminuição do pH dos oceanos é uma causa de grande preocupação, e não tem nenhum benefício aparente. Este processo é causado pelo excesso de CO2 sendo absorvido na água, e pode ter conseqüências severas na desestabilização da cadeia alimentar nos oceanos.

Derretimento de Geleiras

O efeito do derretimento das geleiras é negativo, sendo o principal impacto o fato de milhões de pessoas (um sexto da população mundial) dependerem da água doce fornecida todos os anos pelo ciclo de derretimento natural que ocorre toda primavera e o restabelecimento do gelo no inverno. Este ciclo pode ser interrompido, afetando o abastecimento de água para beber e irrigar campos de cultivo.

Aumento do nível do mar

Muitas regiões do mundo são muito baixas, e seriam severamente atingidas até por um aumento modesto do nível do mar. Arrozais já estão sendo inundados por água salgada, o que destrói a plantação. A água do mar está contaminando rios ao se misturar com a água avançando continente adentro, assim como poluindo aquíferos. Tendo em vista que o IPCC não incluiu boa parte da água proveniente dos derretimentos da Groenlândia e Antártica devido às incertezas à época, as estimativas do aumento do nível do mar subestimaram consideravelmente a escala do problema. Não há alusão a benefícios do aumento do nível do mar.

Meio Ambiente

Efeitos positivos do aquecimento global incluem mais vegetação nas latitudes ao norte e possível aumento da biomassa de plânctons em algumas regiões do planeta. Impactos negativos podem incluir o aumento de regiões com déficit de oxigênio, contaminação ou esgotamento de fontes de água doce, maior incidência de incêndios naturais, extensiva perda de vegetação devido a secas, maior risco de extinção de coraisdeclínio no fitoplâncton global, mudanças em padrões migratórios de aves e animais, mudanças na periodicidade sazonal, ruptura da cadeia alimentar e perda de espécies.

Economia

Os impactos do aquecimento global na economia podem ser catastróficos, em contraste a muito poucos efeitos positivos. O relatório do economista Nicholas Stern, encomendado pelo governo britânico, deixou claro o panorama geral de perigo econômico, e ainda que números específicos possam ser contestados, os custos das mudanças climáticas eram, de longe, muito maiores que os custos de evitá-las. Certos cenários projetados no relatório AR4 do IPCC indicavam ondas enormes de migração quando áreas baixas eram inundadas. São esperados abalos ao comércio internacional, transporte, suprimento de energia e mercados de trabalho e mercado financeiro, que causariam caos à estabilidade econômica de países tanto desenvolvidos quanto em desenvolvimento. Os mercados teriam de suportar maior volatilidade e grandes investidores como fundos de pensão ou companhias de seguros enfrentariam dificuldades consideráveis.

Países em desenvolvimento, alguns dos quais já se encontram hoje em conflitos militares, podem ser arrastados para disputas maiores e mais prolongadas por água, fontes de energia e comida. Todas essas possibilidades podem prejudicar o crescimento econômico numa época em que os países em desenvolvimento estariam enfrentando conseqüências mais sérias das mudanças climáticas. É largamente aceito que os impactos do aquecimento global ocorrerão com mais intensidade justamente nos países com menos condições de se adaptar, social ou economicamente.

 

Este texto foi adaptado do site Skeptical Science. Leia em português aqui (com tradução de Alexandre) e o original em inglês aqui (por GPWayne).